Efeito Borboleta (com Osiris, Kara, Ori, Metafórico, Necxo & Uno)

from by Sentinela

/
  • Streaming + Download

     

lyrics

Sentinela

Saio de casa, faço-me à vida caso ela exista
O efeito borboleta parte do efeito da bebida
O vício dá-me avisos e aviso que é problema meu
E hoje a fechadura muda mais rápido do que eu
E assim eu ando tordo direito a lugar algum
Porque num sítio vazio há sempre espaço pra mais um
E com esta roupa suja e rota ando a fazer o meu teatro
pelas ruas da cidade a exibir o meu cenário

Osiris

Todos os dias acordo decidido a em boicotar
O rumo da minha vida que insiste em não mudar
Sou esquisito no caminho com uma atitude selecta
E ando sempre intrometido tipo efeito borboleta
E para me estar a imitar parece que rimo contra o espelho
Eu vou-te influenciar como se fosse o teu irmão mais velho
A vida corre mas fixa tipo pêndulo
Não agarro o cabo com a vista suplicio de tântalo

Kara

Cheguei à conclusão que eu não chego para tudo
Mas a vida pega-me ao colo e diz-me "estica-te"
Efeito borboleta dá-me asas para voar
Mas a vida dá-me uma jaula e diz-me "não te estiques"
Em que é que ficamos vida? em que é que fico?
Deste-me uma boca para falar mas ela vem com adesivo
Não falo mais sobre isto e enquanto à vida é vive-la
Porque não vou levar dois dias a tentar percebe-la

Ori

A minha vida vai mudar um dia eu tenho a certeza
Num estalar dedos tipo efeito borboleta
Eu vou viver um sonho ganhar asas e voar
Virar o mundo ao contrário e deixar pegadas no céu (fui)
Até um dia quem sabe se eu vou voltar para casa
A terra tá pequena demais para se viver cá
A vida dá-me graça e sorrisos ao contrário
Vejo-me a chorar a rir e a rir para não chorar

Metafórico

Dentro do meu casulo sem asas para voar
Sonhando um dia sair daqui para ver o sol brilhar
Quero ter asas coloridas e morrer a ver a lua
Porque por mais que voa não consigo estar à tua altura
Estou farto estou cansado, estou de estar zangado
A contar os dias do calendário enquanto estou aqui fechado
A ouvir os BPM'S desta música que me liberta
Vou morrer a ver o mundo nas costas de uma borboleta

Necxo

Preso numa casa de mudos onde já não se passa nada
Todos falam pelos cotovelos mas nenhum deles tem palavra
Penso em fugir depressa a pressa espera que eu desista
Visto que o que visto é só mesmo para enganar a vista
Simpatizante da esquerda mas sou um rapaz às direitas
Com um futuro meio torto que jamais se endireita
Escondo-me quando o perigo espreita e sei que me sinto culpado
Pelo meu maior inimigo todos os dias se deitar a meu lado

Uno

Eu sei que só resta dar tempo ao tempo que o passado prende
E dá-me sempre um presente que todos me obrigam a ter
Agarro numa borboleta e de repente bate as asas
E quando aterro vejo que não saí de casa
Tem graça como mete graça a felicidade
E como ela fica mais cara à custa da idade
Não há nada que me faça mudar mantenho o sorriso na minha cara
Por mais voltas que dê na vida o passado não muda nada

credits

from Versão do Realizador​/​Chorar a Rir, track released April 20, 2011

tags

tags: hiphop rap Lisboa

license

all rights reserved

about

Sentinela Lisboa, Portugal

contact / help

Contact Sentinela

Streaming and
Download help