Nós pessoas 2 (Prod. Sentinela)

from by Sentinela

/
  • Streaming + Download

     

lyrics

As pessoas vão reinando com corpos banhados a ouro
Mas são demasiado sensíveis para quem magoa os outros
Todos aprendem a pegar o touro pelos cornos
Cabras armam-se em porcas por isso é que vão com os porcos
Só te contam palha a pensar que somos burros
Depois de abrirem as pernas é que juram a pés juntos
Somos falsos com mentiras originais
Aprender a chorar pra sermos pessoas normais
Discutimos é a falar que a gente se entende
E sempre que acabamos não acabamos para sempre
Uma cama é uma cama mesmo sem amor
E quando saíres dela é para o lado que durmo melhor
Cuidado com os amigos que achas que conheces
Só vales mais que dinheiro enquanto o tiveres
Poupa-me, dizes que só tens olhos para mim!
Eu só acho que tu não vês que cada um olha por si!
A vida não anda e quem existe não pensa
Que o sentido da vida não tem pés nem cabeça
A elegância está além de humanos com postura
Por isso é que te envergonhas quando sais à rua
E nós estamos cá a tentar caminhar
Em sentido das pessoas que estão a tentar voltar!
A fugir do mundo o suicídio só acontece
Porque todos sabemos que quem é vivo sempre aparece
Não há nada de triste podes limpar as lágrimas
Eu voltarei se acreditarem em fantasmas
Não estás cansado de dançar nesta música?
A foder a vida só porque a vida é puta?
Provo como te amo e aprovo as tuas merdas!
E a prova que me dás é que realmente não prestas!
Não respeito cabras não me dizem nada
Desculpa a linguagem mas sou um homem de palavra
O que queres que eu faça ninguém vale um caralho
E eu começo a sentir-me acabado
No meio disto tudo não preciso de ninguém
Apenas de uma arma e um disco de Kurt Cobain
Eu vou dizer adeus de costas voltadas
Para ter a certeza que tenho as costas largas!
Has-de bater tao fundo com tanto peso na consciência
Que eu vou repetir tantas vez que temos pena
Sem nada na cabeça o corpo é que paga!
Despem-se tanto só têm vergonha na cara
Não és uma qualquer, vales tanto sozinha
Que juntas tantos gajos pa fazer uma vaquinha
És um puzle fácil partida por tantas peças
Mas és tão burra a puxar tanto pela cabeça
Engano tanto a morte que chego a ficar louco
A pensar que nunca terei onde cair morto
Estou farto de fantoches não me venhas com histórias
De brinquedos controlados por marionetas
E cada vez mais pessoas valem menos
Que custa tanto conta-las pelos dedos


As pessoas estão a ficar doidas e querem que tu fiques na mesma a aplaudi-las,
a admira-las por não saberem quem são, por caminharem com uma coroa de plástico pintada de dourado. Ridículas. A banda sonora que passa nas relações entre as pessoas são aquelas que passam no circo. Palhaços ... E quando pensarem em dizer qualquer coisa apenas porque apetece dizer.
Guardem a vossa simpatia. Não percam tempo com quem não vos interessa. Não vale a pena
Eu vou antes apontar o dedo numa direcção ao calhas e vou por ai. E só voltarei quando acreditarem
em fantasmas. Acreditam em fantasmas ? bem me parecia ...

credits

from Versão do Realizador​/​Chorar a Rir, track released April 20, 2011

tags

tags: hiphop rap Lisboa

license

all rights reserved

about

Sentinela Lisboa, Portugal

contact / help

Contact Sentinela

Streaming and
Download help